Diabetes


De acordo com as estatísticas disponíveis, deverão existir em Portugal 600 a 700 mil diabéticos – 6 a 7% da população. O dano do sistema nervoso (também chamado de neuropatia) afecta cerca de 60 a 70% das pessoas com diabetes e pode causar perda de sensibilidade nos pés e mãos.
As patologias do pé são um grande risco em diabéticos. Estes devem monitorizar constantemente os seus pés para diminuir o risco de se depararem com severas consequências, incluindo amputação

Num pé diabético, uma ferida tão pequena como uma bolha causada pelo uso de um calçado demasiado justo, pode causar um sério dano. A diabetes diminui o fluxo sanguíneo, pelo que as feridas demoram a cicatrizar. Quando uma ferida não cicatriza aumenta ainda mais o perigo de infecção. Sendo um diabético, as infecções expandam-se rapidamente. Se tem diabetes, devia inspeccionar os pés diariamente. Procure por picadas, sinais de traumatismo, áreas de pressão, vermelhidão, zonas mais quentes, bolhas, úlceras, arranhões, corte e problemas nas unhas. Peça a alguém que ajude ou utilize um espelho.

Pes


Alguns conselhos básicos para cuidar dos seus pés:
- Mantenha os seus pés sempre quentes.
- Não submeta os seus pés à neve ou chuva.
- Não coloque os seus pés em radiadores ou em frente à lareira.
- Não fume nem se sente de “perna cruzada”. Ambos diminuem o fluxo sanguíneo para os pés.
- Não permaneça com os pés encharcados.
- Não utilize nenhum tipo de produto ou medicação que não tenha indicada por um profissional de saúde, não utilize saco/botija de água quente, e nunca nenhum instrumento cortante.
- Corte as unhas “a direito”. Evite cortar os cantos. Se notar algum problema nalguma unha, procure os nossos serviços.
- Utilize um bom hidratante para manter a pele dos seus pés em boas condições, mas não coloque entre os dedos.
- Lave os seus pés diariamente com um sabão suave e água morna.
- Se utilizar meias para dormir, estas não podem ser de forma alguma justas.
- Use meias e sapatos apropriados para o Inverno, de forma a manter os pés quentes.
- Quando secar os seus pés, tenha especial atenção aos espaços entre os dedos – seque bem e, se for necessário, com delicadeza.
- Escolha sapatos que sejam confortáveis, mas comece-os a usar progressivamente. Verifique se têm a necessária largura, comprimento e protecção. Evite o tacão alto e os modelos pontiagudos. Tente utilizar calçado com couro de boa qualidade, e com bastante espaço para os dedos (caixa). Use sapatos novos até duas horas por dia. Não utilize o mesmo par diariamente. Inspeccione o interior de cada sapato antes de o calçar. Não aperte demasiado os atacadores nem os deixe demasiado soltos.
- Escolha cuidadosamente as meias. Utilize todos os dias meias limpas e secas. Evite meias com buracos ou vincos. As meias finas de algodão são absorventes e indicadas para utilização no Verão. Evite meias com elástico e cuja frente aperte os dedos.
- Se os seus pés se tornarem “dormentes”, correm o risco de ficarem deformados, de que apareçam úlceras (que podem infectar). Outro tipo é a patologia a nível osteo-articular – pé de Charcot (pronuncia-se “charcô”). É um dos problemas mais sérios que pode enfrentar: a forma do pé modifica-se devido a fracturas e alterações articulares graves; e contudo continua-se a poder a andar porque não dói. As úlceras em pés diabéticos e as fases iniciais de pé de Charcot podem ser tratadas – é importante agir muito rapidamente. As formas de tratamento são diversas e frequentemente multidisciplinares.

Se detectar qualquer lesão no seu pé, procure-nos imediatamente. Mesmo uma pequena lesão é uma emergência em caso de pé diabético.

Inquérito

Tem, ou já teve dores nos pés? Em que local?

Facebook